Último jogo do Flamengo em Bogotá teve Vini Jr., Paquetá e revolta com a arbitragem no El Campín

0

 

 

O Flamengo visita o Millonarios para estrear na Libertadores. O Rubro-Negro volta a Bogotá após quase seis anos da última partida na cidade, que foi marcada por muita polêmica com a arbitragem e a presença de dois Garotos do Ninho que encantam a Europa e já vestem camisa da Seleção Brasileira: Vinicius Jr., hoje no Real Madrid, e Lucas Paquetá, do West Ham.

A delegação chegou a visitar a Colômbia em dois momentos desde então. Em 2020, foi até a cidade de Barranquilla enfrentar o Junior Barranquilla e dois anos depois conheceu Ibagué para jogar contra o Tolima. Mas não pisa em Bogotá, a capital da Colômbia, desde 25 de abril de 2018.

Depois de ser campeão Carioca, o Flamengo iniciou a trajetória na Libertadores. Invicto nas três primeiras rodadas da competição continental com dois empates e uma vitória, o time viajou para Colômbia para enfrentar o Santa Fe pela quarta rodada, que podia encaminhar a classificação às oitavas.

O jogo no El Campín, mesmo estádio que o Flamengo jogará nesta terça contra o Millonarios, foi então a atuação mais desorganizada e menos objetiva naquele início de temporada em 2018. Sob o comando de Mauricio Barbieri, o time não conseguiu sair do 0 a 0 com os colombianos em uma partida que ficou marcada por erros de arbitragem – para os dois lados.

Foi ainda no primeiro tempo o erro que prejudicou o Santa Fe. Aos 33 minutos, o árbitro uruguaio Daniel Fedorcuzuk não marcou pênalti após a bola tocar no braço de Henrique Dourado. A polêmica contra o Flamengo, porém, aconteceu já nos acréscimos do segundo tempo.

Geuvânio Flamengo Santa Fe — Foto: Marcelo Baltar / GloboEsporte.com

Geuvânio Flamengo Santa Fe — Foto: Marcelo Baltar / GloboEsporte.com

No último lance do jogo, o atacante Geuvânio, que saiu do banco de reservas, roubou bola na entrada da área, foi para cima e mandou para o fundo da rede. Mas árbitro já tinha apitado o término da partida. A zaga do Santa Fe, inclusive, havia parado na jogada. Os rubro-negros, no entanto, ficaram na bronca. Em entrevista após o jogo, o jogador fez duras críticas à arbitragem.

– Mesmo que o jogo esteja acabando, não pode acabar com a bola no campo de ataque. É só contra o Flamengo que acontece essas coisas. A arbitragem sempre erra contra o Flamengo. Cara, um lance desse não pode errar. Contra o Flamengo, sempre contra a gente estão errando. A bola no ataque, não tem como acabar ali. Não deu nem 50 minutos. Não ouvi apito, eu conclui o lance. O árbitro não deu explicação. Não vou falar nada porque posso falar m* e sobrar pra mim – desabafou na ocasião.

Por Letícia Marques, ge — Bogotá, Colômbia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *