Defensora do “tratamento precoce”, cantora gospel Cristiane Ferr morre de Covid

0

“Eu tomei”, escreveu a cantora quando publicou uma imagem que incentivava o uso de remédios como a cloroquina, que não tem eficácia contra a doença do coronavírus

Por Ivan Longo/RevistaForum

A cantora gospel Cristiane Ferreira de Souza, famosa entre o público evangélico e que usava o nome artístico de Cristiane Ferr, morreu em decorrência da Covid-19 na última sexta-feira (11), em Juiz de Fora (MG), aos 48 anos. O sepultamento da artista aconteceu na mesma cidade no sábado (12).

Segundo relato feito ao jornal Tribuna de Minas pelo pastor Luiz Cardoso, da Igreja Missionária Filadélfia, da qual Cristiane fez parte nos anos 90, após o diagnóstico da doença ela passou a se tratar em casa, mas piorou rápido e precisou ser internada. A cantora teria sido imediatamente intubada pois seus pulmões estavam 100% comprometidos.

Em nota, a igreja manifestou pesar pela morte da artista. “É com pesar que comunicamos o falecimento nesta manhã de nossa querida irmã Cristiane Ferr. Nossa irmã foi membro em nossa igreja por vários anos, colaboradora na secretaria, nos jovens, Mensageiros do Amor. Foi integrante do ministério Vinho Novo. Ficamos com o coração apertado com esta perda, e oramos para que Deus conforte o coração de toda sua família e amigos. Continuamos orando por sua mãe Sueli. (que está internada sendo cuidada). Deus abençoe!”, diz o texto.

O estúdio Prata Music, onde Cristiane gravou algumas de suas canções, também se manifestou sobre o falecimento. “O Estúdio Prata Music se solidariza com todos os familiares e amigos da Cantora Cristiane Ferr que por muitos anos gravou back aqui no estúdio com sua linda voz e talento são muitas memórias boas daquela época . Que Deus traga consolo á todos e fortaleça nesse dia triste”, diz postagem publicada nas redes sociais.

Tratamento precoce

Cristiane Ferr era defensora do chamado “tratamento precoce”, o mesmo amplamente divulgado pelo presidente Jair Bolsonaro que leva remédios que não têm eficácia contra a Covid-19 e que, em alguns casos, pode oferecer risco a quem os consome.

Através do Instagram, em dezembro de 2020, a cantora gospel publicou uma imagem incentivando o uso de ivermectina, azitromicina e hidroxicloroquina – todos medicamentos ineficientes contra a doença do coronavírus. “Eu tomo”, escreveu ela junto à imagem.

Postagem de Cristiane Ferr em defesa do “tratamento precoce” – Reprodução/Instagram

O uso dessas substâncias para tratar a Covid-19 é rechaçado por especialistas de todo o mundo e também pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *