Empresário é vítima de fake news após pedido de ajuda em envelope

0

Albérico Alves é pernambucano e tenta se reerguer após a falência de sua empresa há seis anos

O pernambucano Albérico Alves, de 44 anos, se viu envolvido em uma notícia falsa divulgada em aplicativo de mensagens, após “espalhar” seu trabalho nas ruas de Maceió. Trata-se de um envelope contendo um lápis e uma mensagem, que foi deixado no para-brisa de diversos veículos, nessa terça-feira (29). Em áudios, as pessoas afirmam que o pacote contém uma droga, utilizada por criminosos para roubar os carros.
Ocorre que o envelope, na verdade, traz a mensagem de um empresário na tentativa de se reerguer, após ter loja de autopeças falir, há seis anos. No pacote, ele conta sua história e disponibiliza o pix, para que as pessoas paguem o que quiserem pelo produto.

Em conversa com a Gazetaweb, Albérico lamenta o ocorrido e disse que isso tem prejudicado o trabalho que realiza há anos, em várias cidades de Alagoas e Pernambuco.

“Isso é uma ação de uma pessoa ruim e que fez um estrago grande, a ponto de eu querer pegar todo material que tenho em casa e queimar. Estou trabalhando numa intenção honesta e passo por isso. Esse trabalho não é golpe, a mensagem está clara, estou investindo nisso, porque gasto com tudo sozinho e nem sempre as pessoas compram. É um pedido de ajuda, mas tenho gasto com isso”, explicou.

Na mensagem, ele conta que sofreu uma quebra financeira e perdeu tudo. Com cinco filhos para criar, ele resolveu deixar a tristeza de lado e encarar a vida. Albérico deixa claro que o conteúdo do envelope é uma venda simbólica.

“Não vou determinar o preço desse item, o valor dessa venda vou deixar por conta de cada cliente, conforme Deus tocar em seu coração. Não vou voltar para cobrar, o próprio objeto fará esse trabalho cada vez que você olhar para ele”, diz trecho da mensagem.

Apesar disso, Albérico disse que ainda existem pessoas de bom coração. “Sou cristão, não gosto de mentira, esse trabalho não deixa margem para golpe. As pessoas não pagam R$ 50 em um lápis, elas compram a minha história, porque são pessoas boas”, conta.

A Polícia Civil de Alagoas (PC/AL) também falou sobre o caso e confirmou que recebeu algumas denúncias sobre o envelope, mas que não há nada concreto de nenhum mal sofrido pela população com intoxicação, envenenamento ou mesmo de abordagem de criminosos.

Por Gazetaweb

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *