Luiz Henrique diz ser grato ao Fluminense e promete Botafogo agressivo em clássico

0

 

 

O clássico do Botafogo contra o Fluminense, nesta terça-feira, às 20h, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, será um jogo especial para o atacante Luiz Henrique. Pela primeira vez, ele vai enfrentar o clube que o revelou para o futebol.

Luiz fez toda a divisão de base em Xerém, local onde jogam os jovens do Tricolor, antes de subir para o time profissional em 2020. Foram 120 jogos, 14 gols e 14 assistências antes de deixar o clube rumo à Espanha para defender o Real Bétis.

– Eu tenho uma gratidão enorme pelo Fluminense, é o clube que me revelou pro futebol, para o mundo. Dentro do jogo eu vou fazer minha parte, que eu estou no Botafogo agora, vou jogar, fazer gol, mas eu tenho muita gratidão pelo Fluminense que me revelou para o mundo – afirmou LH em entrevista exclusiva ao ge.

O Clássico Vovô tem sido palco de alegrias recentes para o Alvinegro. São quatro vitórias consecutivas com três treinadores diferentes em sequência. Se sair vitorioso mais uma vez nesta terça, vai igualar a própria melhor marca do confronto.

O rival chega à partida em má fase. Está apenas na 15ª posição do Brasileirão e venceu apenas um jogo. Na última vez que entrou em campo, ficou no empate em 1 a 1 com o Juventude dentro do Maracanã.

– A gente sabe que eles têm a forma deles de jogar, que é bem perigosa, de sair com a bola lá atrás. Vamos estar no nosso campo, sabemos que no sintético os outros clubes têm essa dificuldade de jogar. Vamos pressionar lá em cima, tentar roubar a bola deles, porque sabemos que essa saída de bola deles é bem perigosa.

O camisa 7 passou uma temporada e meia na Europa antes de voltar para o Brasil. O Glorioso pagou 20 milhões de euros para contar com o futebol dele, que aos poucos vai assumindo o protagonismo na equipe treinada por Artur Jorge.

São três gols e duas assistências em 17 partidas na temporada, a maior parte deles depois de superar uma lesão muscular no começo da passagem. Hoje, Luiz diz se sentir importante dentro da equipe montada por Artur.

O treinador promoveu ainda novas experiências para o atacante, que passou em alguns momentos a ocupar uma zona mais central do campo, diferente do que fez em toda carreira.

– Eu estou sendo muito importante para o time, ajudando muito, como o nosso treinador também está ajudando a gente. Como a gente vem falando cada jogo, tem que ser uma família, um lutar pelo outro, e eu acho que eu estou sendo muito importante aqui. Ajudando o clube a se reestruturar, crescendo a cada jogo, a cada treino – afirmou.

Terceiro colocado do Brasileirão, o Botafogo vai dormir na liderança da competição se vencer o clássico desta terça. Isso porque Flamengo e Bahia, que estão à frente, só jogam no decorrer da semana.

Por Kiko Menezes e Sergio Santana, ge — Rio de Janeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *