Botafogo paga o preço de um primeiro tempo terrível

0

 

 

O Botafogo começou a fase de grupos da Conmebol Libertadores com uma derrota por 3 a 1 para o Junior Barranquilla no Estádio Nilton Santos, gols de Bacca (2), Gabriel Fuentes e Hugo. O resultado, construído todo no primeiro tempo, foi resultado de um time desorganizado.

A partida marcou a despedida de Fábio Matias do comando interino da equipe e também a primeira derrota do gaúcho na função. Ele volta ao cargo de auxiliar técnico fixo da comissão técnica. O português Artur Jorge chegou ao Rio para assumir o cargo e já assistiu à partida no camarote.

Matias apostou em uma formação com Marlon Freitas e Gregore no meio-campo. O desempenho abaixo da média dos dois volantes teve impacto direto em tudo que o time fez defensivamente. Ligado e organizado, o Junior Barranquilla soube aproveitar.

– Foi uma performance patética do time hoje. Nossos capitães sabem. Temos um novo treinador chegando. Abrimos uma competição maravilhosa com uma performance horrorosa – definiu John Textor na zona mista.

O Botafogo iniciou a partida com intensidade, tentando pressionar o adversário no campo de ataque e conseguia equilibrar as ações. Um erro de Hugo, que cometeu um pênalti bobo convertido por Bacca, aos 13 minutos, condicionou o resto da partida.

Na tentativa de subir a pressão no campo de ataque para buscar a virada, o Glorioso descoordenava as linhas de marcação e dava campo para o contra-ataque muito veloz dos colombianos. Nesse ponto que os volantes tiveram impacto.

Tanto Gregore quanto Marlon Freitas tiveram dificuldades na leitura na hora de subir a pressão, erraram botes e abriram campo. Méritos também para o Junior, que fez um ótimo trabalho de toques rápidos para a saída em velocidade.

Foi assim que o Barranquilla ampliou a vantagem em um espaço de 13 minutos. Primeiro com Gabriel Fuentes, após belo contra-ataque puxado por Enamorado. Depois com Bacca, em erro da dupla Mateo Ponte e Lucas Halter.

O gol de Hugo minutos depois acalmou os ânimos e no segundo tempo o Botafogo conseguiu conter melhor as transições ofensivas dos colombianos. Apesar da melhora defensiva, não conseguiu ameaçar muito a defesa do Junior Barranquilla.

A equipe de Arturo Reyes controlou a partida no campo de defesa e, tirando um chute de longe de Tchê Tchê, não viu Santiago Mele ser ameaçado. As vaias ao fim do jogo são sinal do que vem pela frente no Alvinegro.

Fábio Matias cumpriu a missão de deixar a casa organizada para o próximo treinador. Foram 10 partidas, oito vitórias, um empate, além da derrota da última quarta, com a vaga garantida na fase de grupos da Libertadores.

Porém o resultado contra o campeão da Colômbia mostra que há muito trabalho pela frente para Artur Jorge. O time tem uma base forte de construção rápida após a retomada de bola com aceleração, que faz bem e naturalmente.

Para ter uma pressão alta, retomada no campo de ataque e controle de bola com a posse, o português terá que estruturar o time. Talento não falta, mas o futuro do Botafogo passará a ser definido daqui para frente.

Por Giba Perez, ge — Rio de Janeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *