Trae Young, de patinho feio a astro que calou os críticos nos playoffs da NBA

0

Por Redação do ge — Rio de Janeiro

Rayford Trae Young. Guarde esse nome, porque ele promete ser um dos futuros astros da NBA. Mas nos playoffs da temporada 2020-2021, o armador já provou que não é só o futuro, como o presente da maior liga de basquete do mundo. O armador é um dos protagonistas na final da Conferência Leste, em que seu time tem a vantagem sobre o Milwaukee Bucks com a vitória no jogo 1.

Aos 22 anos, Trae se tornou o líder técnico de um time desacreditado e levou os Hawks à final de conferência batendo o New York Knicks, calando um Madison Square Garden lotado de torcedores pegando em seu pé, e o Philadelphia 76ers, dono da melhor campanha da temporada na Conferência Leste.

Nos 13 jogos que tem, até aqui, na carreira na fase decisiva da NBA, Young tem médias impressionantes, especialmente em se tratando de um jogador tão jovem: são 30,5 pontos por jogo e 10,5 assistências, com um aproveitamento de arremessos de 42,2%. Na primeira partida das finais do Leste, o camisa 11 igualou um feito apenas alcançado por LeBron James: 48 pontos em um jogo de finais de conferência aos 22 anos.

“Sinto que treinei a minha vida inteira para esse momento. Para jogar nos playoffs, no maior palco do basquete. Não foi por acaso, trabalhei muito para estar aqui”, disse Trae após vitória sobre os Knicks na primeira rodada.

Provocações e respostas

 

O trajeto de Trae Young e do Atlanta Hawks nos playoffs de 2021 não foi marcado só por vitórias épicas, como a virada sobre os 76ers, ou lindas cestas, mas também pelas provocações e tretas, tanto na primeira rodada contra os Knicks, quanto na segunda contra os 76ers.

A primeira treta foi ainda em Nova York, quando um torcedor cuspiu no armador durante a segunda partida da série, após Trae ter jogado muito no confronto de abertura entre os times e mandado a torcida, que provocava ele, calar a boca. John Collins, colega de Atlanta, se revoltou à época com a situação.

– É totalmente inaceitável. Eu nem entendo, você está vindo para um jogo para assistir uma pessoa jogar basquete, onde você se lembra de cuspir nessa pessoa? – indagou o ala.

Torcida do New York Knicks provoca Trae Young NBA — Foto: Reprodução/Twitter

Torcida do New York Knicks provoca Trae Young NBA — Foto: Reprodução/Twitter

Nessa mesma partida, vários fãs dos Knicks foram ao Madison Square Garden usando máscaras de pássaro ou com cartazes com foto de aves, isso porque o jogador tem ornitofobia (medo de pássaros). Trae também aturou algumas provocações na Filadélfia, mas nada tão grave ou que o abalasse.

– Jogamos nos dois lugares mais difíceis da NBA. Foi um ótimo ambiente, eu amei. Amei a falação de bobagens, tudo em relação a isso. Tem sido divertido – afirmou o armador após eliminar os Sixers.

As brincadeiras do camisa 11 em quadra seguiram, agora na final da Conferência contra o Milwaukee Bucks. Jogando em Milwaukee, Trae se aproveitou da liberdade para dar uma “relaxada” antes de matar uma bola de três.

Apesar de parecer irritado com o lance durante a partida, o astro do Milwaukee Bucks, Giannis Antetokounmpo, disse não ver problema no que fez Young, em entrevista após a partida.

– Ele está se divertindo. Trae Young está apenas curtindo o jogo. É óbvio que eu não gostaria que ele acertasse aquele arremesso, mas ele está se divertindo, aproveitando o jogo – disse o grego.

Questionamentos após o draft

 

Nascido no Texas, o armador começou a carreira em Oklahoma, tanto no high school quando na universidade de Oklahoma, onde brilhou como o primeiro freshman a liderar a primeira divisão em pontos e assistências.

Trae Young durante o draft, em 2018 — Foto: Mike Lawrie/Getty Images

Trae Young durante o draft, em 2018 — Foto: Mike Lawrie/Getty Images

Trae Young chegou à NBA em 2018, ao ser a quinta escolha geral do draft daquele ano… pelo Dallas Mavericks. Mas antes mesmo de entrar em quadra, o armador foi trocado pelos Mavs para o Atlanta Hawks por Luka Doncic, também armador.

As comparações foram inevitáveis. O esloveno rapidamente se tornou uma estrela da liga, levando os Mavs aos playoffs em 2020. Enquanto isso, Trae oscilava e penava com um Atlanta Hawks pouco confiável. O começo de temporada em 2021 só reforçou isso.

Luka Doncic e Trae Young conversam em quadra com as mãos nos joelhos — Foto: Todd Kirkland/Getty Images

Luka Doncic e Trae Young conversam em quadra com as mãos nos joelhos — Foto: Todd Kirkland/Getty Images

Doncic levava a equipe do Texas a uma bela campanha, enquanto Atlanta acumulava mais derrotas do que vitórias. Até que, em março de 2021, o técnico Lloyd Pierce foi demitido e Nate Macmillan assumiu o comando de forma interina.

A partir daí, Trae começou a brilhar e comandar Atlanta até a final da Conferência. Com McMillan foram 27 vitórias e apenas 11 derrotas na temporada regular, uma das melhores campanhas da NBA no período.

As comparações seguem acontecendo, e sempre continuarão, mas Young já provou que também é uma estrela dessa liga, indo mais longe do que Doncic jamais foi nos playoffs. A caminhada tem mais um capítulo nesta quinta-feira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *