Palmeiras chama Textor de caricato e dispara: “Bizarra tentativa de justificar a perda do título”

0

Clube se manifestou depois de o dono da SAF do Botafogo voltar a levantar suspeitas sobre o Verdão e dizer ter provas de manipulação, mas sem as apresentar

 

 

O Palmeiras definiu John Textor, dono da SAF do Botafogo, como um “caricato cartola”, após a nova entrevista do dirigente, em que diz ter provas de que o Verdão vem sendo beneficiado pela arbitragem, ainda que não tenha as apresentado.

– O Palmeiras vem adotando todas as medidas jurídicas cabíveis contra o dono da SAF do Botafogo, John Textor, e não pretende se manifestar novamente sobre a bizarra tentativa do caricato cartola de justificar a perda do título brasileiro de 2023. Confiamos que as autoridades competentes tomarão as providências necessárias com a urgência que o tema exige – diz nota enviada pelo clube.

O Verdão já tinha decidido ir à Justiça contra Textor, pelas declarações que dera sobre manipulação de resultados em jogos do Brasileirão.

Nesta segunda, em entrevista ao “Canal do Medeiros”, o dirigente voltou a falar do Palmeiras. Ele disse ter provas, sem exibi-las, de que o clube foi beneficiado pela arbitragem nos últimos dois anos.

– Temos provas pesadas, 100% confirmadas de que o Palmeiras vem sendo beneficiado por manipulação de resultados por pelo menos duas temporadas. Desculpe se isso vai criar barulho, mas tenho provas, vou mandar aos procuradores – declarou o dono da SAF do Botafogo.

Embora diga desde o fim do ano passado ter provas da manipulação de resultados, John Textor ainda não as apresentou. Ele quer levar o caso para a Justiça Comum e não tratar do caso no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

As seguidas declarações do norte-americano são citadas no Palmeiras como irresponsáveis e levianas.

A discussão se iniciou enquanto os clubes eram rivais diretos na briga pelo título brasileiro de 2023.

O Palmeiras terminou como campeão, após o Botafogo chegar a abrir 14 pontos de vantagem.

Textor colocou a competição sob suspeita e apresentou um estudo que dizia que o time carioca deveria ter 21 pontos a mais do que o Verdão. A presidente Leila Pereira o respondeu depois de levantar a taça de campeão, em dezembro:

– Me causa estranheza porque eu acho que o proprietário está desequilibrado – disse Leila, à época.

– Chega até a ser ridículo. Ele desprestigia, desvaloriza esse produto tão importante que é o futebol. Ele deveria ter mais serenidade. É uma parte de desequilíbrio do senhor John Textor – prosseguiu.

Por Redação do ge — São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *